JOGOS SANTA CASA - JORNAIS - REVISTAS -TABACARIA. Venha visitar-nos e... Saia Excêntrico.

.Pensamentos

. MUDAMOS DE CASA

. A VIAGEM CONTINUA.

. AMOREIRA - PLÁSTICO / TAM...

. Óbidos ou Óbidos? Óbidos!

. Óbidos celebra o Feriado ...

. Israel ameaça desencadear...

. Bombeiros de Óbidos ganha...

. FELIZ ANO DE 2009.

. NATAL HOJE

. 60º Aniversário da Declar...

. EB1 da Amoreira, Óbidos e...

. Amoreirense desenhou a Pr...

. Português para todos em Ó...

. Uma pequena lenda de Óbid...

. Vila de Gaeiras – Óbidos ...

.Arquivos

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub
Quarta-feira, 9 de Julho de 2008

Justiça desportiva

“Só um tribunal desportivo (...) fica blindado contra as eventuais influências dos clubes e associações.
 
 
A última reunião do Conselho de Justiça da Federação Portuguesa de Futebol veio demonstrar várias coisas: as fragilidades e deficiências do direito desportivo; a ausência de um regime jurídico sólido e transparente e de uma justiça imune a pressões; a irresponsabilidade dos seus membros; e a falta de um quadro punitivo pedagógico e exemplar. Esta reunião matou o pouco que ainda restava da credibilidade e do prestígio dos organismos que dirigem o futebol português. A pressão a que foram sujeitos os membros do CJ, vinda de todos os lados, com ‘fruta’ ou sem ‘fruta’ prometida, foi insuportável e só pode conduzir à demissão dos seus membros.
 
Não interessa saber de que lado está a razão: a forma como tudo se passou feriu de morte a legitimidade do órgão. E não vale a pena carpir lágrimas de crocodilo. Para isso contribuíram clubes, associações desportivas, dirigentes, Federação, Liga e os sucessivos governos da República, já que o relevante interesse público da prática desportiva assim o exigia.
 
A única via para salvar o futebol passa pela criação de um Tribunal de Justiça Desportiva, com autonomia económica e financeira, com regras de funcionamento diferentes e com um corpo de juízes nomeados, por nove anos não renováveis, pelo Conselho Superior da Magistratura. Há muito que defendo, para o desporto, esta realidade judiciária, mas as forças tentaculares do poder instalado, que vive em regime de cleptocracia, não têm deixado. É necessária, também, uma nova classe de dirigentes, uma nova mentalidade, sepultando de vez os Pintos, os Vieiras, os Valentins e os Madaís. As pessoas estão cansadas desta gente e da adulteração da verdade desportiva.
 
Só um Tribunal de Desporto, trajado com as vestes da imparcialidade, da isenção e da independência, fica blindado contra as eventuais influências dos clubes ou das associações. E não adianta, no actual figurino jurídico, colocar juízes togados para dar essa garantia, porque o problema era igual, dependia do tamanho do avental pelos serviços prestados. Convém dizer, para evitar confusões, que, por sorte, nenhum dos actuais membros do CJ é juiz de carreira. De juízes conselheiros nada têm, a não ser o nome. A construção de uma justiça desportiva, como um meio alternativo de solução de conflitos de interesses, passa pela criação urgente deste Tribunal, com juízes nomeados pelo CSM.
 
Rui Rangel
CM

 

sinto-me: desportista
publicado por Luis Pereira às 22:37
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.Fevereiro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28

.favorito

. 25 de Abril Sempre.

. Morte Lenta

. NÓS OS OUTROS

. ANTONIO LUIS PAULINO

. AMOREIRA - OS SEGREDOS D...